Entrevista com Leandro Brasa

Poker Pro Brasil nas Redes Sociais

Acesse a nossa Playlist no Spotify

WhatsApp (11) 97206-8732

Links e Referências deste Episódio

Contato com o Leandro Brasa

Poker Pro Brasil


Fala galera, sejam muitos bem vindos a mais um episódio do podcast Poker Pro Brasil. Aqui quem fala é Sergio AT Oliveira e o episódio de hoje será muito especial, pois irei entrevistar uma das pessoas que mais contribuíram pro desenvolvimento do poker no Brasil. Além ,é claro, de ser um grande amigo e um excelente profissional. Leandro Vasconcelos Pimentel é o seu nome, mas muitos o conhecem como Leandro Brasa.

Brasa, seja muito bem vindo ao nosso podcast e obrigado desde já por aceitar o convite para estar aqui conosco compartilhando um pouco da sua historia e experiência. É contigo.

Leandro Brasa

Valeu AT, brigadão! Eu que agradeço o convite, por ter sido lembrado. Nós já temos uma amizade de 10 anos, mas andávamos meio distantes pelo fato de eu estar morando longe de São Paulo. De qualquer forma, estou muito feliz por ter se lembrado do meu nome para o seu novo projeto.

Poker Pro Brasil

Não poderia esquecer do seu nome, pois, como eu já disse, você contribuiu muito para o desenvolvimento do poker e a gente vai falar muito sobre isso durante a nossa entrevista, vai ser bem legal.

Eu queria começar perguntando sobre todo seu envolvimento com o poker. Conta como você conheceu o poker lá atrás?

Leandro Brasa

Então, eu sempre gostei da competição, eu sempre fiz esportes: joguei tênis num nível bom; jogava bola na faculdade, fazia parte do time da universidade, e sempre gostei de jogos de baralho e jogos de estratégia e habilidade.

Eu comecei a faculdade em 95 e entre 97 e 98 eu fui campeão de truco da UNB (Universidade Federal de Brasilia).

Poker Pro Brasil 

Truqueiro então.

Leandro Brasa 

É, gosto e ainda jogo bem, mas está difícil de arrumar parceiro hoje, porque o truco foi meio que substituído pelo poker.

Lá atrás eu já dava uma flertada com o poker, isto durante o período da faculdade, só que quando eu me formei eu sai de Brasilia eu fui morar em Campinas (SP), foi até onde a gente se conheceu, para trabalhar na Motorola. Na Motorola, a gente jogava truco no almoço e foi nessa época que eu ganhei o apelido de “Brasa” porque na hora que eu ia jogar truco eu tinha o sotaque de Brasilia e o pessoal falava “você não é daqui”. E eu falava “não, eu sou de Brasilia”. Então eles perguntavam “Lá em Brasilia tem truco?” e ficavam tirando onda da minha cara. De vez em quando eu acabava ganhando e, quando isso acontecia, eu falava “aqui não rapaz, aqui é Brasilia, vamos respeitar galera!”. Foi neste momento que os caras começaram a me chamar de Brasilia, que depois virou somente “Brasa”, e virei amigo de todo mundo. É por isso que de lá pra cá todo mundo me como Leandro “Brasa”.

Nós jogamos por um bom período, mas depois de um tempo o truco foi proibido na Motorola, porque fazia muito barulho.

Poker Pro Brasil

Imagina, só um pouquinho, kkkk. Eu fico imaginando na hora do almoço, as pessoas querendo comer e vocês lá gritando…

Leandro Brasa 

A gente almoçava em 10, 15 minutos e depois ia correndo pra sala do Grêmio pra jogar truco. A gente ficava gritando e batendo na mesa, aquela zona…

Os caras proibiram porque o Grêmio ficava de uma sala de reunião. Então imagina o cara participando de uma reunião bem na hora em que a gente estava jogando truco, gritando seis milho, rato… Foi então que eles proibiram.

Foi então que eu disse pra galera: “eu conheço um joguinho de baralho, que não faz tanto barulho, que se chama poker – isso foi em meados de 2001, 2002. Foi então que a gente montou uma turma pra jogar poker e a galera foi se interessando bastante.

Por volta de 2003, quando o Chris Moneymaker foi campeão do WSOP, o poker deu um boom no mundo e isto começou a refletir aqui no Brasil. Eu me interessava bastante pelo jogo, tanto é que eu procurava se já existia algum site ou literatura sobre o assunto.

Nesta mesma época, a gente começou a agitar o jogo lá em Campinas e, como muitos já sabem, a gente propôs um torneio de poker na casa dos amigos e esse torneio veio se tornar a primeira etapa do Circuito Paulista Hold’em (CPH). Depois disso, a coisa toda foi crescendo e explodiu até chegar aos dias de hoje, como você pôde acompanhar também.

Poker Pro Brasil 

Engraçado que isso surgiu meio que uma brincadeira com os amigos, mas sem grandes pretenções.

Leandro Brasa   

A idea era a seguinte: é como se você quisesse jogar bola e não tivesse campo.

Poker Pro Brasil

Entendi.

Leandro Brasa 

Então a gente queria fazer os nossos campos. A gente suava pra conseguir fechar um cash game, um home game, com 3, 4 amigos. Nessa mesma época surgiu o orkut e foi nesta rede surgiu um dos maiores grupos de poker, você deve se lembrar disso, que o “Poker Brasil”. Então, a gente aproveitou esse crescimento do orkut e foi ai que nós encontramos amigos em Campinas e na região que pudessem jogar o nosso home game, ou seja, foi graças ao orkut que tudo começou a crescer de forma significativa.

Poker Pro Brasil

Muito bacana, foi através disso que eu conheci você, o DC e todo o pessoal. Eu me lembro que nós íamos jogar na casa do Tito, do Tatu e na casa do DC, lá no hall de entrada ou no salão de festas.

Leandro Brasa

É, lá em casa também, na aquele calor desgraçado, esse começo é uma delicia né…

Poker Pro Brasil

É engraçado que a gente nunca ia imaginar que aquilo chegaria onde chegou hoje. Naquela época, era impossível imaginar isso.

Leandro Brasa 

Naquela época era muito complicado mesmo. Apesar de você ter o exemplos de Las Vegas, com torneios que colocavam 2.000, 3.000, 4.000 pessoas… Como realizar um torneio pro Brasil, onde quase não tinha clube, e os clubes que existiam eram meio que “clandestinos” e brigavam o tempo todo? Foi uma época cinzenta. Além disso, tinha todo o trabalho de convencer policia, convencer os jogadores, de que a gente não tava fazendo nada contra a lei. Essa briga foi começando a dar frutos, mas de uma maneira muito lenta, sem contar o lado fisico de tudo. Logo no começo, como não existiam clubes, não existiam nem mesas. Então, a gente pegava mesas de plástico e colava o feltro, etc. As primeiras etapas do CPH foram todas assim, muito na camaradagem como você mesmo lembrou; tinha churrasquinho, durante os break’s. Era uma reunião de amigos que ganhou outras proporções.

Poker Pro Brasil

Exatamente ai foi assim que surgiu o Circuito Paulista (CPH), em meados de 2005?

Leandro Brasa 

Foi no final de 2004.

Poker Pro Brasil 

Isso, no final de 2004. Então, vocês resolveram dar um nome e oficializou o torneio como CPH, Circuito Paulista de Hold’em, na época?

Leandro Brasa

Isso mesmo. Nessa época, foram varias mãos trabalhando em prol do torneio, mas depois, como a coisa exigia mais organização, a medida que foi crescendo, o Leo Bello, que eu conheci na primeira etapa, se tornou um grande amigo, hoje é como irmão, e o DC. Nós três, criamos o núcleo duro dentro do Circuito Paulista – nós agradecemos a ajuda dos outros organizadores – e começamos a trabalhar só nos três mesmo, através da criação de uma empresa de eventos esportivos, que é a Nutzz. Naquela época, a Nutzz chama pra si a organização do circuito paulista, a gente teve vários amigos que ajudaram no inicio, mas a hora que a gente deu aquela “profissionalizada” do business Poker foi a partir da criação da Nutzz, no ano de 2005.

Poker Pro Brasil

Então vocês assumiram a criança, agora o filho é nosso e vamos toca pra frente, certo?

Leandro Brasa

Foi exatamente isso. Em paralelo a isso, começaram a existir clubes ao longo do Brasil, claro primeiro nas capitais, e esses clubes, essas pessoas, esses grupos, sempre se voltavam pra gente como perguntando como é que foi e a gente foi criando uma maneira de ajudar outros grupos pelos outros estados, entendeu?

Acabou que a gente percebeu que isso estava se tornando uma onda nacional, então o Akkari se torna sócio da Nutzz e nós quatro tivemos a ideia de criar o BSOP, que se torna o nosso carro chefe, o nosso maior sucesso, no ano de 2005.

Poker Pro Brasil

O BSOP é criado no final de 2005, certo?

Leandro Brasa

Isso, a gente criou no final de 2005, mas a primeira foi realizado no inicio de 2006.

Poker Pro Brasil

E aí nessa época que você decidiu ser profissional de poker, em 2006, porque até 2005 não você estava organizando tudo, mas você tinha sua profissão e possuía um emprego formal, certo?

Leandro Brasa

É, como eu disse, eu me mudei para Campinas porque eu me formei na UNB em relações internacionais e eu tinha intenção em trabalhar na área governamental em alguma empresa privada, em relações com o governo. E em Campinas, a Motorola tinha uma planta enorme, e lá eles tinham esse departamento em relações governamentais, mas eu já trabalhava pra eles em Brasilia e fui chamado para trabalhar em Campinas.

Eu trabalhava de 2000 a 2006 na Motorola, mas em paralelo, desde 2004, eu já vinha criando esses produtos do poker. Então, no final de 2005 pra 2006, se eu não me engano, eu percebi que este negócio estava ficando grande demais, estava afetando o meu trabalho, inclusive. Não só eu via a possibilidade de ganhar dinheiro como jogador, o que já vinha acontecendo, mas também como empresário do negócio poker. E pra fazer dar certo ambas as fontes de renda oriundas do poker, estava ficando difícil conciliar com o trabalho. Isto porque eu tinha que acordar cedo para ir trabalhar, sendo que tinha passado a madrugada anterior jogando. Todo mundo sabe que tem torneios que tem torneio que você fica até 5, 6, 7 da manhã jogando, às vezes mais. Aí eu tomo a decisão de sair da Motorola, o que foi uma grande surpresa para o meu chefe, pois ele tinha acabado de promover, há dois meses.

Poker Pro Brasil

Caramba! Isto demonstra que não não foi uma coisa você planejou nos mínimos detalhes, mas que acabou acontecendo naturalmente, pelo fato do lado poker esta crescendo na sua vida como jogador e como organizador, ou seja, chegou um momento em que você teve que tomar uma decisão: e aí qual caminho seguir? Porque você não tinha como abraçar as três coisas ao mesmo tempo. Então, você decide escolher esse lado do poker.

O que mais pesou pra você naquela época?

Leandro Brasa

O que mais pesou foi que eu sou um cara de projetos e foi uma delicia ver a coisa começando, crescendo, ganhando forma e eu sabendo que estava a frente de algo pioneiro, de uma coisa totalmente nova aqui no Brasil.

Outra coisa que pesou bastante: no mundo corporativo é muito comum as pessoas se espelharem no seu chefe, ou seja, elas desejam estar naquela posição algum dia. No meu caso, eu não me via naquela situação, posição, que o meu chefe se encontrava, ou seja, eu não me via fazendo o que ele fazia.

Poker Pro Brasil

O que é mais bacana de ver é que você tomou a decisão certa, pois o resultado está aí para todo mundo ver.

Leandro Brasa

Nós imaginávamos que poderia ficar grande, mas não tão rápido assim.

Algumas vezes, eu conversa com o Leo sobre isso e falávamos assim: será que em 10 ou 20 anos nós conseguiremos colocar 1.000 pessoas em uma etapa do BSOP?

E no BSOP Millions do ano passado nós conseguimos colocar 3.700 em um único torneio, se tornando o maior evento de poker do mundo, fora dos EUA. Então, as 1.000 pessoas vieram mais rápido do que imaginávamos.

Poker Pro Brasil

E esse ano tem tudo para bater esse recorde, viu?

Leandro Brasa

Amém. Apesar do país estar enfrentando um momento de crise bem grande, o que reflete em todas as áreas.

Nós respeitamos muito isso, seguramos valores, fizemos um planejamento muito pé no chão. Quem acompanha deve ter notado isso… mas a expectativa do BSOP Millions é a melhor possível. Vamos pra cima e vai ser excelente novamente!

Poker Pro Brasil

E dizem que em ano de crise todo mundo corre atrás de um joguinho para ver se consegue recuperar de algum lado, não é mesmo?

Leandro Brasa

Isso é verdade. Já ouvi histórias parecidas, principalmente quando você olha para a indústria de jogos e cassinos nos EUA. Mas temos que lembrar que o nosso mercado exige um investimento relativamente alto. Então, as pessoas precisam pensar muito nisso.

Por outro lado, nós estamos muito satisfeitos com os resultados, pois, mesmo com a crise, os números do BSOP continuam crescendo, a cada ano.

Poker Pro Brasil

E aí você tomou a decisão de se envolver única e exclusivamente com o poker, seja como jogador ou como organizador, e percebe que tomou a decisão correta, pois no ano de 2006 você conquista o título de campeão do BSOP, logo no primeiro ano do evento.

Leandro Brasa

Essa transição foi bem suave porque em fevereiro de 2006, quando eu decidi largar o emprego, eu cravo o 162 do Poker Stars, um valor bem alto pra época, o que me proporciona uma segurança muita boa e que permitiu correr o BSOP inteiro como jogador com muito mais tranquilidade. Nesse ano eu fui vice-campeão de uma etapa e fiz três mesas finais. Então, a regularidade acabou me consagrando como o grande campeão.

Poker Pro Brasil

Contra pra gente como era o seu preparo para se desenvolver como jogador e aprimorar a sua técnica?

Leandro Brasa

No começo, a literatura era toda em inglês. O acesso aos livros, mesmo em inglês, era muito difícil. O Leo sempre foi o estudioso do jogo. Então ele tinha alguns livros. Quando nós viajamos pela primeira vez, eu o Leo, a Veia, o Federal, nós compramos alguns livros, fazíamos alguns pedidos pela Amazon. Além disso, nós acompanhamos muito o fórum 2+2. Este fórum era (até hoje) muito importante para análise de mãos, etc.

Não existia o papel do coaching na época. Inclusive, nós fizemos um pouco deste trabalho no começo.

Poker Pro Brasil

E hoje qual recurso você considera como sendo o mais interessante para se manter atualizado?

Leandro Brasa

Hoje existem vários sites de treinamento que eu considero até mais interessantes que os livros. Além disso, eu acredito que alguns grandes jogadores que oferecem coach são uma fonte muito boa para você melhorar o seu jogo. Então, para quem está iniciando, eu acredito que estas duas fontes são as melhores opções que existem hoje.

Poker Pro Brasil

Existem varias modalidades no poker e você jogou mais torneios, certo? Ou você joga cash game também?

Leandro Brasa

Não, não. Isto é até uma impressão errada que as pessoas podem ter. O torneio proporciona uma visibilidade maior, pelo fato de estar mais presente na mídia e ser mais perceptível quando você crava e levanta a taça. Então, o torneio te traz mais fama.

Quando falamos em jogadores vistos como ídolos, normalmente são citados jogadores de torneios.

A minha origem é o cash game, pois eu jogava os home games naquela época que nos conhecemos e eram todos home games de cash. Eu sempre fui muito bem no cash, pois eu acredito, particularmente, que o cash exige muito mais a técnica. Eu sou das pessoas que acredita que um excelente jogador de cash pode se tornaram grande jogador de torneios, mas o contrário nem sempre é verdadeiro.

Eu me considero um jogador de cash game e gosto mais de cash game, principalmente Omaha.

Poker Pro Brasil

Este ano você está indo muito bem no ranking de Omaha do BSOP, certo?

Leandro Brasa

Este ano eu comecei muito bem em ambos os rankings e ainda estamos bem no Omaha

Poker Pro Brasil

Este último evento tem bastante torneio ainda e todos tem chance de conquistar o título, não é mesmo?

Leandro Brasa

Eu acho que está aberto, tem muita gente boa entre os líderes. Meus amigos que viajam e dividem o quarto comigo, Rodrigo “Zidane” Caprioli e Afif Prado, estão muito bem posicionados. Eles vieram com regularidade desde a primeira etapa e se destacaram nas últimas, mas a briga ainda está aberta. Quem sabe eu consiga surpreender no final e conquisto o título novamente após 10 anos…

Poker Pro Brasil

Na sua opinião, qual foi o momento mais marcante pra você até hoje?

Leandro Brasa

Pra mim, foi a mesa final que eu fiz no ano de 2007 no WSOP. Eu fui o primeiro brasileiro a conseguir chegar em uma mesa final de um evento do WSOP. A torcida presente, a galera toda reunida, vibrando e torcendo. Então, foi, sem sombra de dúvida, foi um momento muito marcante.

Como organizador, o momento mais marcante foi a primeira vez que nós realizamos o evento do BSOP no WTC Sheraton. Entrar na aquele salão incrível, que já foi palco de vários eventos incríveis, inclusive eventos esportivos. Foi também a primeira vez que tivemos um patrocínio de um site de poker, na época o Fulltilt, que era o segundo maior site de poker do mundo.

Poker Pro Brasil

E hoje, como está a sua relação com o Poker?

Leandro Brasa

De novembro do ano passado pra cá, eu venho tentando jogar um pouco mais online. Isto porque onde eu moro não existem muitas opções para jogar ao vivo. Contudo, eu me considero atualmente um pouco irresponsável no que diz respeito a regularidade. Isto também ocorre porque estou envolvido com outros negócios aqui na cidade onde eu moro.

Poker Pro Brasil

Falando de outros projetos, conta mais pra nós um pouco do Betmais.

Leandro Brasa

Eu tive a felicidade de receber convite de amigos, na pessoa do Teves e do Henry, e fui convidado a fazer parte do projeto do Betmais me tornando o representante para os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Isso pra mim tem tudo a ver com o que eu estou envolvido nos últimos 10 anos, pois considero que apostas esportivas, assim como o poker, também envolve muito estudo. É mais um projeto pioneiro que estou participando, pois é a primeira vez que um grupo exclusivo de brasileiros desenvolve um projeto deste tipo.

Poker Pro Brasil

E quanto tempo você está realizando este trabalho

Leandro Brasa

É algo bem recente, aproximadamente, três meses.

Poker Pro Brasil

Que legal! Espero que tenha muito sucesso neste projeto!

Leandro Brasa

Obrigado pelos desejos de sucesso.

Poker Pro Brasil

Chegou algum momento em sua carreira que você pensou em desistir?

Leandro Brasa

A vida de jogador de poker é bem regular, em termos financeiros. A grande maioria dos profissionais já passou por downswings.

Houve um sim um momento que eu pensei que se eu tivesse dependendo exclusivamente do jogar, é muito provável que eu mudaria de rumo. Mas ainda bem que desde o começo não foi simplesmente uma decisão de sair pra viver do poker e sair jogando e sim uma decisão de ter o negócio poker como alicerce para pagar as contas ter algum retorno.

Poker Pro Brasil

Qual é o seu planejamento para o futuro em relação ao poker?

Leandro Brasa

Eu tenho alguns sonhos. De vez em quando eu converso com a Patricia, minha esposa, sobre ideias de morar fora do país onde o poker ainda não seja tão desenvolvido, como uma oportunidade de chegar lá e realizar este trabalho.

Poker Pro Brasil

Nós já estamos chegando no encerramento do programa e eu gostaria que você colocasse para os nossos ouvintes que estão iniciando três dicas que você considera importantes para essas pessoas.

Leandro Brasa

Não faça nada de forma tempestiva. Existem muitos exemplos de pessoas que abandonaram o emprego, abandonaram outras fontes de renda, achando que ficariam ricos com o poker. É claro que esta transição deve ocorrer, mas ela precisa ser feita de forma gradual. Não precisa simplesmente abandonar a sua fonte de renda atual;

Existem grandes times de jogadores e eu percebo que bons jogadores se tornam grandes jogadores a partir do momento que entram para algum time. Se eu tivesse que começar hoje, e tivesse me profissionalizar, eu tentaria participar da seleção desses times;

Se reciclar sempre, nunca achar que já sabe tudo. Existem exemplo de jogadores que desapareceram, pessoas com talento e poderiam ser reconhecidos mundialmente, mas que não souberam manter o ritmo dos estudos, o controle do bank roll, etc.

Poker Pro Brasil

Show de bola excelentes dicas!

Brasa, você falou do seu projeto do Betmais. Então, deixa os seus contatos para quem quiser saber mais sobre este projeto.

Leandro Brasa

Legal! Pro Betmais é só entrar em http://www.betmais.com. Inclusive hoje, nós estamos migrando a plataforma para um layout novo, um motor novo, com muito mais recursos. Então, se você criar a sua conta com o código “Brasa”, eu consigo um bônus especial pra você, além de oferecer aguas dicas através do WhatsApp. No Twitter é @brasapoker, no Instagram também é @brasapoker. No facebook é leandro.brasa. Pode entrar em contato em qualquer uma dessas opções que eu sempre estou a disposição.

Poker Pro Brasil

Brasa, eu gostaria de agradecer demais por esta conversa, foi muito bacana falar contigo depois de tanto tempo sem contato. Vamos nos encontrar mais vezes e agradeço demais a sua participação.

Leandro Brasa

Valeu cara, eu que agradeço e agradeço a paciência de quem está nos escutando até agora, bastante tempo falando, e não tenha se enjoado da minha voz. E agradeço por falar com todo mundo através deste canal que você está criando. Sucesso em sua iniciativa e nesse projeto novo também.

Poker Pro Brasil

Obrigado, valeu demais!

Leandro Brasa

Valeu, abração!


Poker Pro Brasil nas Redes Sociais

Acesse a nossa Playlist no Spotify

WhatsApp (11) 97206-8732

Poker Mathe 2.0